sábado, 12 de setembro de 2009

** RECONHECENDO A DEUS**

“Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas” (Provérbios 3:6)




Reconhecer a Deus endireita as nossas veredas.



Reconhecer é: conhecer de novo; distinguir por certos caracteres, por certas particularidades; admitir como verdadeiro, como legítimo, como certo; ficar convencido de; verificar; confirmar; confessar; examinar a situação de; observar; explorar; considerar autêntico ou legal; agradecer; recompensar.



No livro de Provérbios 4:18 e 19 lemos: “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. O caminho dos perversos é como a escuridão; nem sabem eles em que tropeçam”.



Como reconhecer a Deus em todos os meus caminhos?



VENDO COMO ELE VÊ!



Satanás tem trabalhado para nos distrair.



Tem trazido tempestades de areia para cegar a igreja e confundir os líderes. Seu intuito é que os pais não saibam mais como agir: ou são moles e não sabem exercer autoridade, ou são excessivos na correção, ou não conseguem estabelecer um relacionamento com os filhos ou vivem a irritá-los com regras e ordens sem fim. Maridos não amam suas esposas e esposas não respeitam seus maridos. Mas a verdade da Palavra é outra!



Filhos são “herança bendita do Senhor”.

Pais são dignos de honra.

Quem acha uma esposa alcançou o bem do Senhor.

Ter um marido é ter sobre si um sacerdote do Senhor

Esta é a verdade e não outra

Por isso precisamos nos firmar na palavra de Deus que é nossa regra de fé e prática.Deixe ainda hoje de murmurar e criticar e abra a sua boca para declarar as verdades do Senhor.



Tire de sua mente toda imagem distorcida e volte a ver como o Senhor vê.



“Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração” (1 Samuel 16:7).



Deus não vê com os olhos da carne, vê com os olhos espirituais. Ele não vê o hoje, mas sim o que ele projetou e deseja que seja a realidade.



SENDO AGRADECIDO POR AQUILO QUE ELE FEZ HOJE, FARÁ AMANHÃ!



Deus fez algo por você no dia de hoje. Reconheça-o em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.



Não espere estar com as suas veredas endireitadas para agradecer. Mesmo no vale da sombra da morte, em caminhos ainda não aplainados, reconheça que Ele está no controle de tudo e agradeça, e aí sim ele endireitará as suas veredas.



TENDO TEMOR NA PRESENÇA DE DEUS.



“Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons” (Provérbios 15:3). Você não precisa olhar ao seu redor para saber que Deus está perto de você. Tenha temor a Ele. Reconheça a sua presença e pense antes de pecar seja em pensamentos, palavras ou atitudes.

“Mas o Senhor está no seu santo templo; cale-se diante dele toda a terra” (Habacuque 2:20). Quem é o santo templo do Senhor hoje? Aquiete-se na presença dele. Sua alma agitada pode lhe impedir de reconhecê-lo nas situações que você tem vivido... aquiete-se...

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Marcos 14:38). O Senhor tem nos levantado como uma igreja de oração, mas o vigiar vem antes de orar... VIGIE!

“O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; revelam conhecimento todos os que o praticam” (Salmo 111:10). Aquele que teme ao Senhor só o faz porque conhece a Palavra de Deus.

*O PERFIL DO JOVEM DE DEUS*

O Encontro com Deus




“Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem. Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza.” (Jô 42.5-6)

Nunca se ouviu tantas desgraças e tragédias envolvendo jovens como nos últimos tempos. O índice de suicídio entre adolescentes cresce assustadoramente, a cada dia, no mundo todo! As prisões para menores estão lotadas!

O que está acontecendo? O que está faltando para esses jovens, que em ternos de coisas materiais, têm sido muito mais privilegiados hoje que as gerações passadas?

O que falta é um encontro com Deus.

Somente o Espírito de Deus pode preencher o vazio no coração de cada jovem. Nos países mais desenvolvidos, o governo oferece gratuitamente a todo adolescente, várias atividades educativas, culturais e esportivas, além da escola normal. Ora, por incrível que pareça, são nesses países que o índice de suicídio de pessoas na faixa etária de 15-25 anos é mais alto.

Isso mostra claramente que moças e rapazes podem ser muito ricos, ter uma boa educação, dinheiro, diplomas, amigos, praticar esportes, uma boa família, etc. Mesmo assim nada disso pode dar sentido à vida, senão o Espírito de Deus.

Porém, é importante que se entenda que ter um encontro com Deus não é freqüentar uma igreja ou conhecer a Bíblia, nem mesmo praticar os rituais cristãos. Isso é ser um religioso, mas não significa ter um encontro com Ele.

Quando uma pessoa tem um encontro com Deus, ela passa a conhecê-lO pessoalmente através do Espírito Santo.

Você pode conhecer Deus através de informações recebidas a respeito dEle, mas, repito, isso não é o encontro. Talvez tenha conhecimento de um artista ou político através de jornais, revistas, rádios e TVs, porém você ainda não o conhece pessoalmente. Se um dia o encontrar e mantiver um relacionamento com ele, então você poderá saber quem é aquela pessoa por si mesmo, sem depender do que os outros falam.

Da mesma forma é com Deus. Ora, o próprio Jô, que era um homem de Deus, confessou no final de suas dores: “Eu te conhecia só de ouvir; mas agora os meus olhos te vêem.” (Jô 42.5)

Infelizmente são muitos os que conhecem Deus apenas de ouvir e por isso vivem enganados.

Portanto, é impossível que o jovem tenha um encontro com Deus e ainda viva vazio e angustiado. Ele pode ter dificuldades, lutas, necessidades, contudo jamais é vencido por elas, porque a força de Deus está nele.

Quem não se lembra do jovem Davi? Ele era filho caçula e na sua mocidade teve um encontro com Deus, que se deu exatamente quando o Espírito Santo veio sobre ele ao ser ungido por Samuel.

“Tomou Samuel o chifre de azeite e o ungiu no meio de seus irmãos; e, daquele dia em diante, o Espírito do Senhor se apossou de Davi. Então, Samuel se levantou e foi para Rama.” (1 Samuel 16.13)

Não é de espantar que esse jovem tenha crescido em força e sabedoria e vencido todos os seus inimigos.

A hora é agora!

Se, por um lado, a adolescência é a época da vida que apresenta grandes riscos e perigos para o jovem, por outro, é também a melhor época para ter um encontro com Deus. Por quê? Porque o jovem está limpo e apto a obsorver as palavras e o caráter de Deus mais do que ninguém, devido exatamente a sua juventude. É como o ditado que diz que “cachorro velho não aprende truques novos”. Não é que a pessoa de mais idade não possa se converter e ter um encontro com Deus, mas, sem dúvida alguma, a época melhor para isso acontecer é a adolescência.

O próprio Senhor Jesus sabia disse, e quando escolheu os doze discípulos, todos eram jovens. Nenhum era, dentre os fariseus ou doutores da lei, com seus pensamentos “causados” e enraizados.

O Espírito Santo, através de Salomão, também diz: “Lembra-te teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer.” (Eclesiastes 12.1)

Portanto, jovem, se você está lendo este livro e já teve um encontro com Deus, sinta-se um privilegiado. Muitos são os que escarnecem por causa da sua fé, mas eles não sabem o que estão perdendo!

E se você ainda não teve um encontro com Deus, então, agora é a hora de buscá-LO!



O selo de Deus na sua vida



“E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” (Efésios 4.30)

Talvez você esteja se perguntando: “Como é que eu faço para ter um encontro com Deus?”. Eis a resposta: só o Espírito Santo pode lhe apresentar o Senhor Jesus e fazê-lo ter um encontro com Ele.

Quando você vai à igreja, por mais abençoado que seja o pastor, por mais belos os hinos que você cante ou as informações que receba, ainda assim, nada disso lhe pode fazer encontrar o Senhor Jesus.

Você tem de buscá-Lo pessoalmente em oração fervorosa. Daí o Espírito Santo, que almeja por ciúmes habitar em nossos corações, verá o seu desejo ardente e virá sobre você, e nesse momento, você terá a experiência mais gloriosa de sua vida: O batismo no Espírito Santo!

Sim, como no batismo nas águas, o pastor imerge a pessoa e esta se levanta como nova criatura, semelhantemente ocorre com o batismo no Espírito Santo. Só que nesse caso o pastor da igreja não pode interferir; é o próprio Senhor Jesus submerge a pessoa no Rio de Águas Vivas, isto é, no Espírito Santo.

Quando isso acontece, o Espírito Santo deseja selar aquela para garantir o seu destino a salvação.

É como selar uma carta, por exemplo. Para garantir que ela chegue ao seu destino é preciso lhe afixar um selo próprio. Uma vez selada, ninguém tem o direito de abri-la, a não ser o seu destinatário.

Esse é o trabalho do Espírito Santo na vida da pessoa. Ele nos marca com o Seu selo a fim de que ninguém possa nos tocar, para mostrar que somos dEle e conduzir-nos à salvação.

“Esperamos em Cristo; em quem também vós, depois de ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa; o qual é o penhor da nossa herança, até ao resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória.” (Efésios 1.12-14)

Cremos que Deus providenciou o selo do Espírito Santo para que pudéssemos, acima de tudo, nos guardar da sujeira que há nesse mundo.

A degradação moral e espiritual da sociedade em que vivemos têm se tornado insuportáveis. O ser humano tem se prostituído com tudo o que há de ruim, sujo podre e nocivo. Ele tem sido um mero marionete nas mãos do diabo. E o que é pior essa imundícia tem penetrado em muitas igrejas e execrado o santuário de Deus.

Hoje se fala com a maior naturalidade em “cristão homossexual”. Nos Estados Unidos e na Inglaterra já existe o Gay and Lesbian Christian Movement (Movimento Cristão de Gays e Lésbicas). Há muitos pastores que para não perderem a simpatia dos jovens pregam que sexo antes do casamento não é pecado, desde que haja amor. Doutrinas diabólicas a antibíblicas têm tido grande aceitação dentro das igrejas, como: “cair pelo poder de Deus”, “rir no Senhor”, “dormir no Senhor”, sonhos, profecias, etc., enfim, uma verdadeira vergonha.

Como é que você, moça ou rapaz, pode se manter puro (o) e imune às imundícias desse mundo decadente? Só mesmo através do selo do Espírito Santo!

A descoberta do plano de Deus para sua vida

“Agora, pois, ó Israel, que é que o Senhor requer de ti? Não é que temas o Senhor; teu Deus, e Andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao Senhor; teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma (...) para o teu bem?” (Deuteronômio 10.12-13)

Uma vez que o jovem tenha tido um encontro com Deus e o selo do Espírito Santo sobre ele, então ele passa a saber o propósito do Todo-Poderoso em sua vida: que ele venha a servi-Lo.

Gostaríamos de explicar sobre o plano de Deus. Muitos pensam que seu destino está traçado por Deus e que Ele realizará em suas vidas aquilo que tem planejado. Nós, porém, não cremos assim.

Cremos que somos nós que fazemos o destino. Se a nossa vontade com relação à vida é contrária à vontade de Deus, então Ele não nos obrigará a seguir a dEle, mas, nos deixará seguir o caminho que quisermos. Está escrito: “O Senhor está convosco, enquanto vós estais com ele; se o buscardes, ele se deixará achar; porém, se o deixardes, vos deixará.” (2 Crônicas 15.2)

Então, se buscarmos o Senhor, Ele nos deixará achá-Lo, poderá usar-nos no Seu plano. Senão, Ele nos deixará seguir nosso próprio caminho.

Esse plano de que estamos falando não é um plano pessoal que Deus tem para cada um; Ele não tem um plano para mim e outro para você, e outro para o seu colega, não. O plano de Deus é um só. E qual é?

O grande plano de Deus, desde o princípio, é o de salvar almas perdidas e trazê-las para junto de Si, formando um reino de salvos para glorificá-Lo. Esse é o maior e mais sublime plano de Deus.

Então, para realizar esse plano, Ele escolhe pessoas que se encaixem dentro de Sua vontade e as usa. Ora, não tem sido assim desde o princípio?

Veja que ao longo dos tempos, Deus tem escolhido pessoas para usar em Seu plano. Escolheu Noé para começar uma nova terra; escolheu Abraão para dar início a uma nação santa; achou em Moisés um libertador para o Seu povo e um guia para fazê-lo entrar na Terra Prometida; quando Saul lhe desobedeceu, ungiu Seu servo Davi para rei de Israel. E ao precisar de um profeta para exortar Israel, ouvia de Isaías: “Eis-me aqui, Senhor, envia-me a mim”; quando Seu Filho veio à Terra para nascer como homem, achou dentre as mulheres, Maria; quando Jesus começou seu ministério terreno escolheu os doze apóstolos.

Hoje, o Espírito Santo ainda está à procura de homens e mulheres para dar continuidade ao Seu plano. Isso significa dizer que, se dentre os milhões de jovens nesse mundo você teve a oportunidade de um encontro com Deus e ser selado com o Seu Espírito, então Ele quer que você faça parte de Seu plano!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

*-._.-* *-._.-* Por que "12" *-._.-* *-._.-*

12 é o número que fala da totalidade perfeita; na economia de Deus é a perfeição na ciência, no conhecimento.




. Israel tinha 12 estandartes quando saiu do Egito. “Assim partiram pela primeira vez segundo a ordem do SENHOR, por intermédio de Moisés. Porque primeiramente partiu a bandeira do arraial dos filhos de Judá segundo os seus exércitos; e sobre o seu exército estava Naassom, filho de Aminadabe. E sobre o exército da tribo dos filhos de Issacar, Natanael, filho de Zuar. E sobre o exército da tribo dos filhos de Zebulom, Eliabe, filho de Helom. Então desarmaram o tabernáculo, e os filhos de Gérson e os filhos de Merari partiram, levando o tabernáculo. Depois partiu a bandeira do arraial de Rúben segundo os seus exércitos; e sobre o seu exército estava Elizur, filho de Sedeur. E sobre o exército da tribo dos filhos de Simeão, Selumiel, filho de Zurisadai. E sobre o exército da tribo dos filhos de Gade, Eliasafe, filho de Deuel. Então partiram os coatitas, levando o santuário; e os outros levantaram o tabernáculo, enquanto estes vinham. Depois partiu a bandeira do arraial dos filhos de Efraim segundo os seus exércitos; e sobre o seu exército estava Elisama, filho de Amiúde. E sobre o exército da tribo dos filhos de Manassés, Gamaliel, filho de Pedazur. E sobre o exército da tribo dos filhos de Benjamim, Abidã, filho de Gideoni. Então partiu a bandeira do arraial dos filhos de Dã, fechando todos os arraiais segundo os seus exércitos; e sobre o seu exército estava Aieser, filho de Amisadai. E sobre o exército da tribo dos filhos de Aser, Pagiel, filho de Ocrã. E sobre o exército da tribo dos filhos de Naftali, Aira, filho de Enã. Esta era a ordem das partidas dos filhos de Israel segundo os seus exércitos, quando partiam.” (Números 10:13-28).



Jacó teve 12 filhos, dos quais saíram as 12 tribos de Israel. “E serão aquelas pedras segundo os nomes dos filhos de Israel, doze segundo os seus nomes; serão esculpidas como selos, cada uma com o seu nome, para as doze tribos.” (Êxodo 28:21)



Josué separou 12 pedras, e nelas escreveu os nomes das 12 tribos. “Tomai do povo doze homens, de cada tribo um homem. E mandai-lhes, dizendo: Tirai daqui, do meio do Jordão, do lugar onde estavam firmes os pés dos sacerdotes, doze pedras; e levai-as convosco à outra margem e depositai-as no alojamento em que haveis de passar esta noite. Chamou, pois, Josué os doze homens, que escolhera dos filhos de Israel; de cada tribo um homem. E disse-lhes Josué: Passai adiante da arca do Senhor vosso Deus, ao meio do Jordão; e cada um levante uma pedra sobre o ombro, segundo o número das tribos dos filhos de Israel. Para que isto seja por sinal entre vós; e quando vossos filhos no futuro perguntarem, dizendo: Que significam estas pedras. Então lhes direis que as águas do Jordão se separaram diante da arca da aliança do SENHOR; passando ela pelo Jordão, separaram-se as águas do Jordão; assim estas pedras serão para sempre por memorial aos filhos de Israel. Fizeram, pois, os filhos de Israel assim como Josué tinha ordenado, e levantaram doze pedras do meio do Jordão como o SENHOR dissera a Josué, segundo o número das tribos dos filhos de Israel; e levaram-nas consigo ao alojamento, e as depositaram ali.” (Js 4:2-8)



Doze homens foram espiar a Terra Prometida. “E falou o Senhor a Moisés, dizendo: Envia homens que espiem a terra de Canaã, que eu hei de dar aos filhos de Israel; de cada tribo de seus pais enviareis um homem, sendo cada um príncipe entre eles. E enviou-os Moisés do deserto de Parã, segundo a ordem do Senhor; todos aqueles homens eram cabeças dos filhos de Israel. E estes são os seus nomes: Da tribo de Rúben, Samua, filho de Zacur; Da tribo de Simeão, Safate, filho de Hori; Da tribo de Judá, Calebe, filho de Jefoné; Da tribo de Issacar, Jigeal, filho de José; Da tribo de Efraim, Oséias, filho de Num; Da tribo de Benjamim, Palti, filho de Rafu; Da tribo de Zebulom, Gadiel, filho de Sodi; Da tribo de José, pela tribo de Manassés, Gadi filho de Susi; Da tribo de Dã, Amiel, filho de Gemali; Da tribo de Aser, Setur, filho de Micael; Da tribo de Naftali, Nabi, filho de Vofsi; Da tribo de Gade, Geuel, filho de Maqui. Estes são os nomes dos homens que Moisés enviou a espiar aquela terra; e a Oséias, filho de Num, Moisés chamou Josué.” (Números 13:1-16)



Davi tinha 12 chefes das tribos de Israel. “Então os chefes dos pais, e os príncipes das tribos de Israel, e os capitães de mil e de cem, até os chefes da obra do rei, voluntariamente contribuíram. E deram para o serviço da casa de Deus cinco mil talentos de ouro.” (I Crônicas 29:6,7)



Salomão tinha 12 chefes, chamados príncipes. “E tinha Salomão doze oficiais sobre todo o Israel, que proviam ao rei e à sua casa; e cada um tinha que abastecê-lo por um mês no ano.” (I Reis 4:7)



A Nova Jerusalém tem 12 portas. “E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel... E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro, para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro. E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais. E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme a medida de homem, que é a de um anjo. E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro. E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda. O quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista. E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente.” (Apocalipse 21:12,14-21)



Jesus tinha 12 anos quando ascendeu a Jerusalém para fazer o Bar Mitzvah. “E, quando acabaram de cumprir tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré. E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele. Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa. E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.” (Lucas 2:39-42)



Após subir ao monte para orar, Jesus escolheu 12 discípulos. “E subiu ao monte, e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele. E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar. E para que tivessem o poder de curar as enfermidades e expulsar os demônios. A Simão, a quem pôs o nome de Pedro. E a Tiago, filho de Zebedeu, e a João, irmão de Tiago, aos quais pôs o nome de Boanerges, que significa: Filhos do trovão. E a André, e a Filipe, e a Bartolomeu, e a Mateus, e a Tomé, e a Tiago, filho de Alfeu, e a Tadeu, e a Simão o Zelote. E a Judas Iscariotes, o que o entregou.” (Marcos 3:13-19)



Os discípulos de Jesus, posteriormente, tornaram-se 12 Apóstolos. “E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos.” (Lucas 6:12,13)



O modelo dos 12 nos devolve ao sacerdócio, deve estar no peito. “Farás também o peitoral do juízo de obra esmerada, conforme à obra do éfode o farás; de ouro, de azul, e de púrpura, e de carmesim, e de linho fino torcido o farás. Quadrado e duplo, será de um palmo o seu comprimento, e de um palmo a sua largura. E o encherás de pedras de engaste, com quatro ordens de pedras; a ordem de um sárdio, de um topázio, e de um carbúnculo; esta será a primeira ordem. E a segunda ordem será de uma esmeralda, de uma safira, e de um diamante. E a terceira ordem será de um jacinto, de uma ágata, e de uma ametista. E a quarta ordem será de um berilo, e de um ônix, e de um jaspe; engastadas em ouro serão nos seus engastes. E serão aquelas pedras segundo os nomes dos filhos de Israel, doze segundo os seus nomes; serão esculpidas como selos, cada uma com o seu nome, para as doze tribos.” (Ex 28:15-21).



Por toda essa significação, cada um dos 12 é uma pedra preciosa de valor.



O objetivo dos 12 é possibilitar que toda a Igreja seja ministrada na mesma linguagem, e que todos sejam acompanhados individualmente. O objetivo funcional é que todos os 12 tenham células, façam o Reencontro e Encontro de Níveis, bem como os demais Encontros que a Visão oferecer, pois na Visão Celular, todos são convocados a serem líderes e precisam de treinamento.

.·´¯).·´¯).·´¯).·´¯)* Oque é Visão Celular *(¯`·.(¯`·.(¯`·.(¯`·.



“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” (Marcos 16:15)




“E porei a minha aliança entre mim e ti, e te multiplicarei grandissimamente.” (Gênesis 17:2)



“O menor virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte; eu, o SENHOR, ao seu tempo o farei prontamente.” (Isaías 60:22)



A Visão Celular é fácil, prática e possível. Não é mais uma denominação, mas um modelo de evangelização que traz crescimento, multiplicação e muita responsabilidade com a Igreja local.



O alvo da Visão é fazer de cada membro de Igreja um discípulo do Senhor Jesus, e um líder no Modelo dos 12. Essa Visão veio para nos levar a fazer exatamente o que Jesus mandou que fizéssemos: discípulos de todas as nações da terra. “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” (Mateus 28:19)



Tudo que envolve a Visão Celular está relacionado a ganhar vidas, pois para isso Jesus veio, morreu, ressuscitou e voltará. A Visão não tem um cunho doutrinário, pois ela é devocional; é uma estratégia que atrai um resultado que todos podem experimentar e reconhecer que, de fato, só Deus dá tamanho crescimento. “De modo que, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.” (I Coríntios 3:7)



Quando a Visão é implantada na Igreja gera uma restauração completa. Os líderes sentem alegria em compartilhar a Palavra numa dimensão ainda maior. As pessoas são treinadas para ganhar outras vidas, há dinâmica nas reuniões, tanto nos cultos principais quanto nas células, nas macrocélulas, nos 12 e nas Redes, vem com uma explosão de alegria e todos os nossos objetivos são alcançados.



1. ETAPAS DA VISÃO



A Visão Celular pode ser compreendida por qualquer veterano na Igreja ou novo convertido. Ela é processada de uma forma que, além de trazer muito conteúdo bíblico, adestra a pessoa em uma velocidade muito grande formando um líder de êxito em um tempo hábil.



As etapas da Visão Celular são: GANHAR – CONSOLIDAR – DISCIPULAR – ENVIAR.



GANHAR



O Ganhar é realizado através do evangelismo pessoal, das células de multiplicação, cultos das Redes e cultos de celebração. Podemos realizar programas que atraiam as pessoas segundo a sua faixa etária, como chás, cafés, jantares, reuniões de oração, lazer com propósito evangelizador etc. Devemos sempre utilizar recursos, buscando alternativas que funcionem; tudo debaixo da direção de Deus.



CONSOLIDAR



É o processo de firmar o novo convertido na fé, é doutrinar, ensinar o caminho, tirar das trevas para a luz. Esse é o processo mais singular da Visão Celular, tanto que chamamos a consolidação de “pulmões da Visão”. A consolidação bem planejada é o sustentáculo da multiplicação.



Quando alguém aceita a Jesus como Senhor e Salvador de sua vida, precisa de cuidado e acompanhamento, para que se sinta seguro e possa, dessa forma, ser conduzido ao Pré-encontro, Encontro e Pós-encontro. Aí o novo discípulo será incentivado a ingressar na Escola de Líderes e cumprir todas as etapas da Visão Celular como:



1. Pré-encontro:



O Pré-encontro é realizado uma vez por semana durante um mês e cada reunião tem a duração de uma hora. Objetiva esclarecer para o novo convertido os princípios básicos da Palavra de Deus, estimulando-o a ir ao Encontro, que é tremendo!



2. Encontro



O Encontro tem a duração de três dias. Sempre que possível, deve ser realizado em um lugar fora da cidade para que as pessoas possam ficar longe do contato secular.



No Encontro, as feridas são saradas, o caráter é tratado, somos levados a um genuíno arrependimento e comunhão profunda com Deus. Saímos confrontados pelo ensino da Palavra e com a responsabilidade de ganharmos as pessoas para Jesus.



3. Pós-encontro



O Pós-encontro segue os mesmo princípios do Pré-encontro e capacita o discípulo a vencer os contra-ataques do diabo, resistindo a cada um deles.



É de fundamental importância fazer o Pós-encontro, pois o inimigo tentará atacar em cinco áreas específicas: família, amigos do passado, finanças, saúde e mente.



DISCIPULAR



Quando o discípulo ingressa na Escola de Líderes, recebe inúmeros ensinamentos acerca da Palavra de Deus e recebe ainda mais do caráter de Cristo a cada lição. Isso gera um desejo de não apenas ganhar as vidas, mas discipulá-las. Então, no segundo bloco da Escola, o aluno já está liberado, debaixo do acompanhamento do seu discipulador, para começar a liderar uma célula.



O aluno da Escola de Líderes deve procurar ser um excelente aluno, colocando todos os ensinamentos recebidos em prática no dia-a-dia, principalmente quando estiver discipulando as vidas que o Senhor confiará em suas mãos.



É muito importante ter zelo no cuidado com os discípulos, pois isso os faz sentirem-se amados e criará neles o desejo de serem líderes que formarão posteriormente outros líderes. Nesse processo, as gerações começam a ser levantadas.



ENVIAR



Enviam-se os discípulos quando eles estão preparados para liderar células. Nessa etapa da Visão Celular, o líder forma a sua 1ª geração, realiza seus próprios Encontros, possui Escola de Líderes sob a sua direção; está conquistando territórios. Enfim, ele tem experimentado os resultados benéficos que a Visão Celular produz.



Na Visão Celular, o ideal antes de levar as pessoas a qualquer culto é introduzi-las sabiamente em uma célula. Muitas pessoas têm medo de ir à Igreja, estão assustadas e traumatizadas por escândalos. Nesses casos, a reunião em casa é a melhor opção.



Quando a pessoa vai primeiro à reunião de célula para depois freqüentar a uma Igreja em Células, ela chega ao Reino com uma mentalidade de célula, o que facilita a compreensão sobre a Visão.



Um dos melhores lugares para fazer uma célula é nas casas. Vemos isso através de vários exemplos bíblicos. “E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais? E eles disseram: Rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde moras? Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e viram onde morava, e ficaram com ele aquele dia; e era já quase a hora décima.” (João 1:38,39).



“E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo.” ( Atos 5:42).



“Saudai também a igreja que está em sua casa. Saudai a Epêneto, meu amado, que é as primícias da Acaia em Cristo... Saudai a Apeles, aprovado em Cristo. Saudai aos da família de Aristóbulo. Saudai a Herodião, meu parente. Saudai aos da família de Narciso, os que estão no Senhor.” (Romanos 16:5,10,11).



Nas células, os discípulos são impactados por serem trazidos para a intimidade do discipulador, onde não há disfarces e todos mostram realmente quem são. Esse fato faz com que o novo convertido gere interesse de participar das reuniões e cumprir o alvo da Visão Celular: ganhar vidas. “O fruto do justo é árvore de vida; e o que ganha almas sábio é.” (Provérbios 11:30)



A Visão Celular tem como objetivo principal ganhar vidas, por isso é uma Visão que busca tratar caráter, confrontar pelo ensino da Palavra, produzir um genuíno arrependimento e comunhão profunda com Deus, além de gerar relacionamentos entre irmãos.



O Encontro não é a Visão Celular; é muita coisa, mas diante do tudo que Deus tem a oferecer, o Encontro não é nada. Não se atrapalhe no processo. Algumas pessoas fazem o Encontro, são impactadas, mas ficam pelo caminho, não compreendem que não podem parar no Encontro, pois Deus tem muito mais para realizar em suas vidas.

*-._.-* *-._.-* FIDELIDADE INDIVIDUAL:A CHAMADA DE DEUS PARA ESTE TEMPO*-._.-* *-._.-*



Temos visto que a chamada de Deus para este tempo é que sejamos encontrados fiéis individualmente. “E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (I Ts 5:23).

Há um tempo para sermos santos no espírito, na alma e no corpo e esse tempo é agora e deve permanecer até a volta de Jesus. Receberemos a fidelidade individual, objetivando uma nova identidade, uma nova postura de relacionamento e uma nova maneira de conduzir e de ser conduzido. Isso se traduz em receber a santidade de Deus (tópico visto na semana passada) e em demonstrar um caráter fiel e santo.

2. Demonstrar um caráter fiel e santo Santidade e fidelidade falam da restauração de caráter. Ter um caráter restaurado vale muito. Quantos já ouviram falar que há pessoas, dentro da igreja, com um caráter pior do que muitos que estão fora? Porém, esse não é o propósito de Deus. Ele quer restaurar o caráter do Seu povo. Ele quer que sejamos santos em toda a nossa maneira de viver. Quando temos em nossa vida a santidade e a fidelidade de Deus, todos vêem. Não há como uma pessoa ser santa e infrutífera, pois o resultado da santidade é o fruto. Este ano Deus quer nos libertar de todo argumento e nos curar em tudo. Quem não se submete à cura, entra em disciplina, pois a santidade não aceita argumento.

Ser plenamente irrepreensível é a proposta de Deus para nossas vidas. O mundo precisa ver em nós o testemunho de um caráter irrepreensível, que é igual a santidade. Santidade fala da obra do Espírito Santo, que ninguém pode subestimar. Toda obra do Espírito Santo objetiva gerar santidade na Igreja. Quem é contra a santidade, é contra a obra do Espírito; quem não tem uma vida santa, rejeita a obra do Espírito; quem rejeita a obra do Espírito, assinou a sua morte (Rm 7:5).

“Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser; e os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Rm 8:6-8).

Quantas igrejas eram para estar cheias do Espírito e plenamente avivadas e ungidas, mas aboliram a obra do Espírito e estão mornas, sepultadas e sem esperança. Qualquer homem que rejeita a obra do Espírito morre primeiro espiritualmente, e depois morre gradativamente, até chegar ao físico, Mas,

este é o tempo de Deus para todos nós. Viveremos um ano de tremenda restituição no espírito, na alma e no corpo. Porém, não nos faltará a exortação para que andemos em novidade de vida, a qual a Bíblia apregoa, para que vivamos na integridade do Reino de Deus.Decida ter um caráter plenamente irrepreensível. Algumas situações nos constrangem, nos fazem chorar, gemer para gerar a mudança. O Espírito Santo é o Autor da santidade. Não devemos ir contra Ele jamais. Todos aqueles que são fiéis andam na verdade e são conduzidos pelo Espírito Santo.

Apenas o Espírito Santo pode nos levar a uma mudança profunda e genuína no caráter. Quando o Espírito Santo nos transforma interiormente, a mudança é visível, inclusive no físico. A nossa vida recebe a vida de Deus e é transparecida através do nosso rosto. Assim é a obra do Espírito.

Este é o tempo da oportunidade de Deus. Houve um tempo para sermos avaliados coletivamente. Agora, Ele está nos olhando por uma outra balança. Na balança do coletivo, houve fidelidade, agora estamos entrando na balança individual. Todos nós subiremos na balança de Deus e seremos pesados; ninguém escapará dela. Então se prepare.

O que será colocado na balança? Caráter, fidelidade, santidade. Somos chamados para ser santos e a fidelidade anda de braços dados com a santidade. Chegou o seu tempo, apenas creia no que o Senhor lhe entrega hoje: a porção da fidelidade, do caráter e da santidade

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

*-._.-* *-._.-* TUDO ESTÁ FEITO*-._.-* *-._.-*

Tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião


Há tempo de nascer e tempo de morrer

Há tempo de ficar triste e tempo de se alegrar

tempo de chorar e tempo de dançar

Deus marcou o tempo certo para cada coisa

Ele nos deu o desejo de entender as coisas que já aconteceram

e as que ainda vão acontecer,

porém não nos deixa compreender completamente o que ele faz

Eu sei que tudo o que Deus faz dura para sempre;

não podemos acrescentar nada, nem tirar nada.

Tudo o que acontece ou que pode acontecer já aconteceu antes.

ECLESIASTES 3.1,2b,4,11,14,15a



Quando as circunstâncias que nos rodeam são contraditórias, a impotência nos leva a desesperança, ao medo, a dúvida e tudo quanto possa nos causar mais dor, angústia, sofrimento. Quando não compreendemos os fatos da vida, só temos uma coisa a fazer: confiar em Deus!



E peço ao Deus do nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai glorioso, que dê a vocês o seu Espírito, o Espírito que os tornará sábios e revelará Deus a vocês, para que assim vocês o conheçam como devem conhecer. Peço que Deus abra a mente de vocês para que vejam a luz dele e conheçam a esperança para a qual ele os chamou. E também para que saibam como são maravilhosas as bênçãos que ele prometeu ao seu povo e como é grande o seu poder que age em nós, os que cremos nele. Esse poder que age em nós é a mesma força poderosa que ele usou quando ressuscitou Cristo e fez com que ele se sentasse ao seu lado direito no mundo celestial. Efésios 1.17-20



Por meio da revelação do Espírito Santo é que poderemos compreender melhor tudo o que nos acontece, o Espírito Santo também nos ajuda a sermos melhores, tomarmos as decisões corretas e principalmente: É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. 2 Coríntios 1.4



Somente em Deus eu encontro paz e nele ponho a minha esperança. Salmos 62.5



Esperança de que dias melhores virão, de que todo sofrimento não é em vão e que tudo um dia será esquecido e viveremos para Ele e por Ele para todo o sempre!



E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. Disse-me ainda: Tudo está feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Eu, a quem tem sede, darei de graça da fonte da água da vida. O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus, e ele me será filho.

Apocalipse 21.4-7



JESUS É O NOSSO TEMPO, A NOSSA CONFIANÇA E A NOSSA ESPERANÇA!

.·´¯).·´¯).·´¯).·´¯)* INTIMIDADE COM "DEUS" *(¯`·.(¯`·.(¯`·.(¯`·.

Quando há intimidade há transformação de dentro para fora




“A intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele fará conhecer a sua aliança.” (Salmos 25.14.)



A intimidade é o elemento espiritual fundamental que todo o cristão deve buscar, pois se trata de um relacionamento profundo com Deus. Porém, infelizmente, o Corpo de Cristo não tem dado o devido valor.





É interessante observar a definição da palavra “intimidade”, segundo o Dicionário Aurélio: “Vida íntima; vida particular”; “Que está muito dentro; Que atua no interior; Muito cordial, afetuoso; Estreitamente ligado por afeição e confiança”. Ressalta-se aqui a definição que diz que o íntimo “atua no interior”.





Ser íntimo de alguém requer tempo e esforço para conhecer e ser conhecido por esse alguém como você realmente é.





Intimidade é conhecer o outro profundamente. É conhecer os anseios, os desejos e os segredos do coração do outro, assim é a intimidade com Deus: é conhecê-lo profundamente, atendendo aos desejos do Seu coração.





Quando há intimidade há transformação de dentro para fora, porque você está em Deus e Ele está em você. Assim como no casamento, se o relacionamento não for trabalhado, cultivado, o amor esfria, empobrece, você não conhece mais o outro e, assim, passa a se sentir sem identidade: “O que eu fiz?”; “Por que o Senhor não está feliz comigo?”.





Intimidade com Deus é um tesouro escondido e a ser explorado. Embora sabemos que a salvação é de graça, a intimidade tem um preço que nem todos estão dispostos a pagar. É o preço da disposição de tempo, de negar as coisas do mundo, de por um momento parar tudo para sentir e ouvir o que Deus tem a dizer.





Intimidade não é orar mecanicamente. É gastar tempo de diálogo com Deus como está escrito nos Salmos 139; é tempo de qualidade. Intimidade é para os que temem ao Senhor (Salmos 25.14), pois o temor é o primeiro passo para ter acesso à intimidade do Senhor, aos segredos do Seu coração.





Os que temem ao Senhor são atraídos por conhecê-lo, deixando-o agir em suas vidas não de forma limitada, mas em todas as áreas. Na intimidade Deus é participante e livre para agir em qualquer área ou circunstância da vida de alguém. Na intimidade Deus faz o que Ele quer e quando quer, no tempo determinado por Ele.





A intimidade tem alguns elementos importantes que descrevem sua definição:





Intimidade é sacrifício – de tempo, seja apropriado ou não, vivendo como imitadores de Cristo (Ef 5.1-2).





Intimidade é privilégio de poucos – Para os que o temem (Sl 25.14.), para os dispostos (Jr 33.3) e para os sinceros, retos (Pv 3.32).





Intimidade é desafio – quem está disposto? Novamente para os que o temem (Sl 25.14); para os que o buscam e o buscam de coração (Is 55.6 e Jr 29.13-14) e desafio para aquele que é limpo de mãos e puro de coração (Sl 24.3-5).





Intimidade é oferta – é o desejo de estar com Deus ofertando todo o seu ser em busca da presença Dele (Sl 27.8). Buscar a presença do Senhor é uma escolha, um ato de oferta.





Intimidade é amor e anelo pela presença com Deus – Sl 27.4; Sl 63. É amando-o sobre todas as coisas, honrando-o não apenas em oração, mas, principalmente, em atitudes. Honrando-o com o próprio corpo como templo do Espírito Santo (1Co 6.19). Nosso corpo como templo, tem que estar purificado para habitar o Deus Aba-Pai. O templo precisa estar reparado para que flua essa intimidade com Deus.



Portanto, meditemos e arrependamo-nos. Não fiquemos acomodados e busquemos a presença de Deus enquanto é tempo.



Reflita:

Você tem tido intimidade com Deus? Até que ponto?

Você realmente conhece a Deus?

Até que ponto você tem deixado Deus ser seu amigo íntimo atuante nas áreas da sua vida?

O que você precisa reparar nesta noite para ter essa intimidade com o Pai?

Ore, arrependa-se e repare seu altar, sua vida diante de Deus para que sua intimidade, sua presença flua entre nós.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

** GERAÇÃO CALEBE**



Fazemos parte da Geração Calebe, geração que entra em Canaã. Mas, que é entrar em Canaã? Entrar em Canaã é ter a consciência de que, para atingirmos tal passo, devemos arrancar de nossas vidas todos os gigantes.



Todos nós, filhos de Deus, ansiamos o dia tão extraordinário em que tomaremos posse da terra prometida. Porém, faz-se necessário estarmos atentos para que o dia chegue e percebamos, pois para muitos ele pode passar despercebido, pela falta de atenção. E, mais, precisamos ter consciência do real significado de entrar na terra prometida!



Quem era Calebe?



Calebe, cujo nome significa homem de faro, foi um homem de coração temente e voltado a Deus, é o que diz Números 13:30. Ele sentia de longe as artimanhas do inimigo, porque possuía um coração contrito ao Deus da promessa. Ele tinha a percepção aguçada, era um homem de espírito diferente.



Todas as pessoas que têm comunhão com Deus possuem um espírito diferente, são capazes de conquistar a Terra, de passar pelos problemas sem que os problemas as vençam, porque mais forte é o que está nelas do que o que está no mundo.



Calebe era filho de Jefoné e chefe de uma das famílias de Judá, de onde procedeu Jesus. Igual a ele somos uma família semelhante a Jesus. Não vivemos só, estamos juntos para conquistar a terra prometida. Calebe foi um dos 12 espias enviados por Moisés à terra de Canaã, para examiná-la (Números 13:5, 17-25). Era um homem de espírito esperançoso e vitorioso. Era um homem de espírito e alma livres, queria vencer todas as barreiras e batalhas a qualquer custo.



Ele e Josué foram os únicos a voltar com as boas notícias acerca do país que iriam habitar. Moisés não entrou na terra, mas Calebe e Josué sim, porque deram um relatório fiel, encorajador diante dos homens. Ele disse que bastava aos israelitas obedecerem às ordens de Deus para darem continuidade à conquista.



Em Números 14:24, Deus lhe deu uma promessa de que receberia todo pedaço de terra que conquistasse, só porque deu um relatório encorajador ao povo, em contraste aos relatórios negativos dos outros 10 espias. Em Gênesis 23:2 vemos que Hebrom era chamada de Quiriate-Arba. Arba foi o maior homem entre os anaquins, que eram os gigantes que estavam na terra de Canaã e, nessa terra Sara foi sepultada.



Calebe e Josué perseveraram na fé, que era maior do que o temor, do que os gigantes que habitavam Canaã. Ele viu o quão difícil era entrar na terra, mas que iria conquistar através da perseverança e de um relatório fiel. Com a idade de 85 anos, reivindicou essa promessa. Apesar da idade, ele ainda tinha a força de um jovem (Números 14:6-15; 15:4). Um homem não deixa de ser guerreiro quando envelhece, mas, quando perde seus sonhos, a sua visão. Não é por ser idoso que alguém não vai conquistar as batalhas, nem vencer a guerra.



Se você deixar seus sonhos morrerem, jamais será um vencedor. Seja como Calebe, ousado e determinado. Idade não é empecilho. O Salmo 22:12-14 diz que o justo florescerá como a palmeira, e ainda na velhice dará o seu fruto.



Por esse testemunho, ele e toda a sua descendência tiveram Hebrom por possessão. Por isso, na nossa palavra, tudo tem que ser bem ponderado. Por causa de relatórios desencorajadores, de palavras negativas, perdemos muitas bênçãos que estão nas regiões celestiais. Mas, vamos aprender com Calebe como entrar na terra de Canaã:



1. Possuía fé e visão



Em Números 14:7-9 vemos como ele era ousado. Ele proferiu para o povo que, se eles não fossem rebeldes contra o Senhor e não temessem, iriam destruir os gigantes como se come pão. Iriam rasgar os inimigos nos dentes.



2. Andava em obediência



Por isso, atraiu a glória de Deus para si. Se você quer atrair essa glória, faça como Calebe, ande em obediência.



3. Não era só idealista



Ele era sonhador, mas realista. Quem é só idealista apenas fica pensando em conquistar, em o que fazer, fica colocando obstáculos, ficam em dúvida, se algo vai dar certo, têm a mente passiva e nem sabem o que Deus quer para suas vidas. Os realistas sonham e conquistam.



4. Perseverou até o fim



Quando temos obstinação por um sonho, não recuamos diante de nenhuma situação adversa. Pelo contrário, avançamos para vencer os desafios, ainda que sejam como gigantes encontrados na terra que Deus já nos deu. Não podemos ter relatórios incrédulos. Deus disse que daria a autoridade sobre as nações para quem perseverasse até o fim.



5. Ouvia a voz do líder



Calebe ouvia a voz do líder que tinha intimidade com Deus (Números 14:24). Quando obedecemos a voz do líder que caminha com Deus, conquistamos o fruto da terra. É o que tem acontecido conosco na Visão Celular do Modelo dos 12, em que resgatamos princípios de Deus que estavam esquecidos.



6. Josué e Calebe tinham unidade



Josué e Calebe eram UM. Os outros 10 espias, apesar de estarem com os dois, de terem saído no mesmo momento e investigado a mesma terra, eram incrédulos. Calebe os confrontou, dizendo que Deus iria lhes entregar Canaã, mas os 10 insistiram que era impossível.



O que é um gigante?



Os gigantes são deformidades na nossa alma. Quantas deformidades temos dentro de nós que ainda não foram vencidas? Já conhecemos algumas e sabemos que estas foram vencidas, mas o inimigo quer roubar a bênção de sermos tratados e curados na alma de forma integral. Muitos, já adultos, ainda têm atitudes de adolescentes, de crianças, outros se sentem rejeitados. Mas, não há deformidade que Deus não possa consertar.



Não fique preso ao passado, lembrando dos relatórios daquele tempo. Muitos não conseguem desfrutar da libertação no presente, ainda estão com a mente e emoções acostumadas às prisões do passado.



Hoje, estamos vivendo um momento em que a Visão Celular trouxe para nós a excelência de Deus. Por isso, derrote o passado agora, caminhe em uma nova dimensão, saia do deserto. A Palavra de Deus diz que no deserto o povo só murmurava, apesar de Deus enviar provisões todo dia como o maná, a roupa e o calçado que não envelheceram por 40 anos. Deus se indignou com o povo, e todos os que murmuraram foram mortos no deserto, tragados pela terra.



Decida não ser como aquele povo que pereceu. Não deixe que a terra trague você! Tenha um relatório de fé, firmeza, vigor, força e prove das benesses de Deus. Somos apanhados de surpresa quando falamos palavras vãs, torpes, negativas. Para chegarmos a Canaã, temos que passar pelo deserto, mas, isso não quer dizer que tenhamos que ficar 40 anos nele, nem morrer lá. Chegou o dia final, o basta de Deus para entrarmos em Canaã.

**GERAÇÃO SONHADORA**



“Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais... Vinde e vendamo-lo a estes ismaelitas, e não seja nossa mão sobre ele; porque ele é nosso irmão, nossa carne. E seus irmãos obedeceram. Passando, pois, os mercadores midianitas, tiraram e alçaram a José da cova, e venderam José por vinte moedas de prata, aos ismaelitas, os quais levaram José ao Egito... E os midianitas venderam-no no Egito a Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda.” (Gênesis 37:5,27,28,36)



Fazemos parte de uma geração que sonha e trabalha por mudanças. Em Gênesis 37, encontramos um homem que começa a sonhar dentro da sua casa, este homem é José. José sonhou dentro da casa do seu pai, foi perseguido por seus irmãos, mas nunca deixou de sonhar. A Bíblia relata que ele continuou sonhando na casa de Potifar e mesmo na masmorra. É muito fácil sonhar na casa do pai, no meio da parentela; é até fácil sonhar na casa de Potifar, que é o lugar do conforto; mas, não é fácil sonhar na masmorra.



Mas é na masmorra, lugar de dificuldade e muitas vezes de injustiça, que Deus lhe dará unção para interpretar sonhos. É na masmorra que você receberá a notícia mais importante: Faraó precisa de você. A única autoridade maior que Faraó era o Deus de José. E José revelou o significado do sonho a Faraó. Isso lhe rendeu um alto posto no Egito, ele se tornou o segundo na hierarquia.



Deus é um Deus de alianças. Se o sonho que você tem, veio dEle, Ele restaurará todos os lugares onde o sonho foi manchado. Nosso Deus é restaurador de caminhos, porque o Seu caminho é perfeito e a Sua palavra é poder. Quando José se tornou um líder dentro da casa de Faraó, administrou situações que foram extremamente importantes.



Os irmãos de José travaram uma briga com ele por causa da túnica que ele havia ganhado do pai. Três pessoas na Bíblia usaram a túnica talar: José, Davi e Jesus. O significado da túnica era de autoridade, logo, todas as vezes que José usava a túnica que Israel lhe havia dado, significava que se havia tornado príncipe, autoridade entre os seus irmãos, apesar de ser o menor da sua casa. É sempre assim, as pessoas não querem reconhecer quando Deus unge aquele que aparentemente é o menor.



Muitos se têm destacado no meio da Igreja e os mais velhos não se têm alegrado. Com Davi, também não foi diferente e muito menos com Jesus. Davi, quando foi ungido e levantado entre os seus irmãos, era o mais moço de todos. Foi difícil para eles aceitarem sua autoridade. Observe que, na batalha contra Golias, seus irmãos não acreditavam que poderia vencer o gigante. Aí começou a concorrência.



Jesus, quando começou o Seu ministério, encontrou naqueles que se achavam mais conhecedores da Palavra do que Ele – os fariseus e os saduceus – dificuldades em reconhecê-lO como o Rei dos reis, o Salvador, o Príncipe da Paz.



No dia em que José chegou a Siquém para colher notícias de seus irmãos para o pai, não encontrou ninguém. Ao sair do lugar, um homem o informou que eles haviam ido para Dotã. Jesus sempre colocará um homem em nosso deserto para nos conduzir àqueles que tentam fugir de nós e querem eliminar nossos sonhos.



José passou por feras, homens estranhos e cumpriu a ordem do pai. Mas, quando seus irmãos o viram, maquinaram uma forma de matá-lo. Após vencer tantos desafios e alcançar a vitória, José quase foi destruído por seus irmãos. Eles queriam matar, eliminar os sonhos de José.



Porém, quando um sonho é de Deus, não há quem possa freá-lo. Nem a casa do pai, nem a casa de Potifar, nem a masmorra. Ninguém pode sufocar, matar, roubar ou colocar um sonho em cadeias. E, ainda que isso aconteça, Deus levanta uma autoridade para trazer livramento.



José foi levado em uma caravana de ismaelitas para o Egito, porque essa é a intenção do diabo: apagar os sonhos e colocá-los na escuridão. Seus irmãos, após vendê-lo, começaram a experimentar a túnica, porém, ela não coube em nenhum deles. Quando o pai nos dá uma túnica, ela não serve para outra pessoa, ainda que queiram disputá-la. Portanto, use a túnica que Deus lhe deu e não fique desejando a túnica do outro.



José passou por três processos: venceu a sua casa, a casa de Potifar – lugar de conforto e também de imoralidade – e venceu a masmorra. Davi venceu a sua casa, o curral e o gigante. Jesus foi para o deserto, onde começou o Seu ministério e venceu. Venceu o diabo, venceu seus irmãos. Jesus não escolheu um traidor, Judas se fez traidor. Ou seja, assim como podemos ser uma bênção, podemos tornar-nos maldição. Não podemos nos desviar da proposta correta de Deus para nossas vidas.



Quando se abre a porta do juízo, encerra-se o tempo da graça. Yeshua, assim como José, cumpriu todos os processos e Se tornou o Grande Restaurador dos Sonhos. O alvo do diabo é pegar os nossos sonhos e jogar em uma masmorra ou no lugar prostituído, ou então, tirar os nossos sonhos da sede do avivamento que é a nossa casa. Porém, ele nunca conseguirá tirar-nos do propósito se nosso coração estiver firme em Deus.



A personalidade da Nação só será veraz se conseguirmos restaurar os sonhos, a visão e o propósito. Podemos ser perseguidos em nossa casa, irmos para a casa de Potifar, sermos encaminhados para uma masmorra, porém Deus moverá as circunstâncias como fez com José, Davi e Yeshua e nos tirará de qualquer lugar que não seja o melhor para nós.



Não deseje a túnica do outro. A túnica que Deus lhe deu é suficiente para lhe dar a vitória. Porém, nunca esqueça que, na trajetória do sonho para a conquista da vitória, haverá situações que tentarão roubar o que Deus fará em sua vida e através de você. Se alguém mexeu em sua túnica, Deus quer entregar-lhe uma roupa nova.



A mesma unção que está sobre Yeshua está sobre os Seus filhos. Sonhe, pois Deus moverá as circunstâncias a seu favor. Sonhe, ainda que tudo pareça difícil. Apenas sonhe e seja indesistível como José.

**COMPREENDENDO A ADORAÇÃO **


 
“Porque d`Ele, e por Ele, e para Ele são todas as coisas; glória, pois, a Ele eternamente. Amém!”

Romanos 11:36
O Senhor Jesus não apenas é a essência da nossa adoração como também, e especialmente, de todo o nosso viver, tornando-se, portanto, a própria razão de estarmos vivos.

Desta forma, para que possamos viver uma vida realmente na presença de Cristo, usufruindo o Seu amor e retribuindo com o nosso amor, com a nossa dedicação de servi-lO e de amar aqueles a quem Ele ama, é preciso que trilhemos o caminho que Ele delineou para nós. Um caminho que nos leva até Ele, que nos leva ao Seu conhecimento, ao Seu coração e aos Seus segredos.

"Amarás, pois, o Senhor teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força." Deuteronômio 6:5
Para compreendermos um pouco mais acerca do versículo acima, estaremos estudando um pouco sobre a etimologia (origem e formação) das palavras "adorar" (no Antigo e Novo Testamentos) e "adorador" (encontrado apenas no Novo Testamento).

A) No dicionário da língua portuguesa encontramos adorar à prestar culto a (divindade); venerar; amar extremosamente.

Estes significados já nos ajudam a esclarecer o caráter da adoração: prestar culto a Deus Pai, a Deus Filho (Jesus Cristo) e a Deus Espírito (Espírito Santo); venerar o Senhor, Seus feitos, Suas obras maravilhosas, Seu caráter; amá-lO porque Ele nos amou primeiro, por Ele ser exatamente quem Ele é: o Todo-poderoso Eu Sou nas nossas vidas. Aleluia!

No dicionário bíblico a palavra equivalente ao verbo adorar no AT[1] é sãhãh, que aparece mais de 170 vezes na Bíblia hebraica. Sua primeira ocorrência é em Gênesis 18:2:
"Levantando Abraão os olhos, olhou e eis três homens de pé em frente dele. Quando os viu, correu da porta da tenda ao seu encontro, e prostrou-se em terra."

O significado de sãhãh é exatamente este: adorar, abaixar-se, prostrar-se, curvar-se. No hebraico moderno é compreendido como curvar-se ou inclinar-se, "mas não no sentido geral de `adorar`" (Vine, 2003, p.31).
No NT encontramos equivalentes gregos para adorar, adoração e, ainda, adorador.

Existem cinco palavras referentes ao verbo adorar:

Y Pruskuneõ à formado de pros (para) e kuneõ (beijar). Referente a fazer mesura, fazer reverência a, virar-se e beijar, aproximar-se e beijar, adorar de joelhor. De todos os demais termos, este é o mais freqüente com o significado de adorar.

Exemplos: encontrado em Jo 4:21-24 e Mt 4:10 (usado para homenagear ou reverenciar a Deus); em Mt 2:2 e Hb 1:6 (para homenagear/reverenciar a Jesus); em Mt 18:26 (para fazê-lo a um homem); em Ap 13:4 (fazê-lo ao dragão e à besta); em Ap 9:20 (a demônios) e em At 7:43 (a ídolos).

Y Sebomai à referente ao ato de venerar, porém acentuando-se o sentido de temor e/ou devoção.
Exemplos: encontrado em Mt 15:9 e At 16:14 (usado para adorar a Deus) e At 19:27 (para adorar a Diana).

Y Sebazomai à variação do anterior com sentido de honrar religiosamente.


Exemplo: encontrado em Rm 1:25

Y Latreuõ à referente a servir, fazer homenagem religiosa ou prestar culto religioso.
Exemplos: encontrado em At 24:14 e Fp 3:3

Y Eusebeõ à referente a agir piamente para com.
Exemplos: encontrado em At 17:23 (com o sentido de honrais)
Acredito honestamente que nascemos para adorar e sermos íntimos de Deus. Isto faz parte da nossa natureza, do plano de Deus para a nossa criação (desde Adão e Eva).
Mas atenção, também creio que quando não estamos adorando a Deus, o fazemos a outras coisas que podem ser a nós mesmos (nossa vaidade, nosso ego, nossa preguiça...), à nossa família, à televisão e, inclusive, ao próprio satanás quando caímos em alguma de suas armadilhas (quando deixamos de meditar na Palavra, quando não investimos tempo com o Senhor Jesus...).
Veja nos versículos citados e em tantas outras passagens bíblicas quantas vezes se adorou aquilo que era errado, aquilo que não devia receber qualquer adoração ou culto.

Pela etimologia do verbo adorar percebemos que, biblicamente, não existe nada que nos limite a manifestar nosso amor e reconhecimento a Deus exclusivamente por meio de cânticos e louvores.

Conforme W. E. Vine “A adoração a Deus (...) pode ser amplamente considerada como o reconhecimento direto a Deus, da Sua natureza, atributos, caminhos e reivindicações, quer pela saída do coração em louvores e ações de graça, quer por ações feitas em tal reconhecimento” (Vine, 2003, p.375).

É possível, portanto, expressarmos nossa adoração a Deus quando nos prostramos diante d`Ele e humilhamos nossa auto-suficiência (Mt 18:4); quando nos curvamos e reconhecemos que Ele é o único Deus em nossas vidas; quando nos inclinamos diante do Seu trono e beijamos os Seus pés e as Suas mãos; quando fazemos reverências, quando damos a Ele a glória devida por tudo o que passamos (quer as boas, quer as difíceis situações); quando O homenageamos por sua majestade, por Seu carinho conosco, pelas transformações operadas em nossas vidas; quando O servimos porque O amamos, para alegrá-lO e nos tornarmos Seus amigos (Jo 15:15); quando a Ele prestamos culto através da nossa vida reta e da administração que fazemos do ministério que Jesus nos confiou (Jo 25:14-10).
Agora eu pergunto: não podemos expressar tudo o que consta no parágrafo anterior por meio da dança? Em alguns casos não fica até mais fácil de fazê-lo?

B) Adoração: existem três palavras referentes ao verbo adorar no NT:

Y Sebasma à denota objeto de adoração (em At 17:23) e se adora (em 2 Ts 2:4)

Y Ethelothreskeia ou kia à formado de ethelo (querer) e threskeia (adoração). Referente a adoração da vontade. Em Cl 2:23 tem o sentido de devoção voluntária (adoração voluntariamente adotada).

Y Threskeia ou kia à denota literalmente o substantivo adoração. Em Cl 2:18 tem o sentido de culto.

No dicionário da língua portuguesa adoração é à ato de adorar; culto a Deus; amor profundo, excessivo; veneração.


C) Adorador, segundo o dicionário da língua portuguesa à aquele que adora; venerador; apaixonado.


No NT existem quatro palavras que denotam adorador:

Y Proskunetes à referente a aquele que homenageia ou faz reverência ao Ser adorado. Encontrado em Jo 4:23.

Y Neõkoros à denota guardador. Encontrado em At 19:35.

Y Theosebes à formado de theos (Deus) e sebomais (venerar). Denota que reverencia a Deus. É usado em Jo 9:31 com o significado de temente a Deus.

Y Latreuõ à em Hb 10:2 tem o sentido de ministrantes, no particípio presente, o que, literalmente, significa adoradores.
É perceptível que algo no AT impedia o homem de ter acesso à intimidade do Senhor. Era o pecado que fazia essa separação ou impedimento. A adoração a Deus era, como vimos pela etimologia das palavras, algo bastante ritualístico: apresentar o holocausto e curvar-se, prostrar-se diante do Senhor.

Mas aleluia, Jesus veio e venceu. É clara a diferença entre o ato de adorar do Antigo e o do NT. O relacionamento de intimidade com o Pai foi restabelecido por Jesus. Agora, os movimentos já são mais expressivos. Abaixar-se e beijar (reverência ao Senhor com a novidade do beijo, algo extremamente íntimo), aproximar-se e beijar (Jesus abriu a porta e nos mostrou o caminho até o Pai), adorar de joelhos, fazer mesura, servir, homenagear.
Podemos demonstrar cada uma das formas acima citadas, expressando-as na adoração com dança, mas não mostrando apenas como fazê-lo, pois seria artificial e teatral. É necessário viver a adoração, afinal ela é fruto de um amor profundo a Deus.


Apesar dessas novas expressões (ou significados), o temor a Deus e a reverência não foram abolidos por Jesus. Ao contrário, vemos n’Ele o exemplo maior de uma pessoa temente a Deus. Em todo o Evangelho, Ele jamais fez algo que não fosse da vontade perfeita de Seu Pai.


Agia assim por temor, ou seja, por um grande respeito que nutria por Deus. É preciso lembrar que temor é diferente de medo, mas semelhante à reverência, “por meio da qual o indivíduo reconhece o poder e a posição do indivíduo reverenciado e lhe presta respeito formal” (Vine, 2003, p.301).
Nesse sentido, a submissão está implícita ao temor. Vale lembrar que o temor a Deus é o princípio da sabedoria (Pv 1:7). Quer ser sábio? Tema a Deus e O reverencie (aqui também entra a adoração).

ஒ♠** Louvor e Adoração**ஒ♠


"Envia a tua luz e a tua verdade, para que me guiem; levem-me ao teu santo monte, ao lugar da tua habitação. Então irei ao altar de Deus, do Deus que é a minha alegria e o meu prazer. Com harpa te louvarei, ó Deus, Deus meu. " (Sl 44. 3-4)


Esta é uma das mais preciosas lições da Bíblia para músicos e cantores evangélicos. Tantos buscam no aperfeiçoamento das técnicas, na qualidade dos equipamentos e na estrutura da apresentação das bandas, um louvor abençoado. Vemos aqui neste salmo a orientação de como chegarmos ao lugar de adoração.


Primeiro: "Envia a tua luz e a tua verdade. "


Precisamos de que a luz do Senhor inunde nosso ser. Essa luz só pode ser trazida pelo Espírito Santo e, por isso, precisamos buscá-lo em primeiro lugar. A verdade só será recebida se dedicarmos tempo na leitura da Palavra de Deus, não uma leitura apenas para retenção de conhecimento, mas para que Deus habite em nós com liberdade.


Isto é um Princípio. A regra é usada em nossas igrejas, pelas equipes de louvor, para estabelecer uma melhor ordem, para controlar os mais " difíceis", mas a regra sem o Princípio é morta.Antes de qualquer ensaio ou técnica, precisamos dos Princípios de Deus que só serão adquiridos no momento de comunhão íntima e pessoal com o Espírito Santo.


Segundo: "...para que me guiem, levem-me ao teu santo monte, ao lugar da tua habitação.


Constantemente vemos dirigentes de louvor citando expressões carregadas de emoção, orientando a nossa mente a entrarmos na presença de Deus, no Santo dos santos. Mas o que realmente significa isso? Será que pela emoção do momento, pelo tom das palavras vamos adentrar ao Santíssimo, ao lugar de adoração?


A Palavra de Deus é clara: a luz e a verdade nos levarão ao santo monte, ao lugar da habitação de Deus. No entanto, se não investimos muito tempo na busca de luz e da verdade, ou seja, na oração, no jejum e no estudo individual da Bíblia, seremos apenas "animadores" de auditório e nunca ministros do louvor do Senhor.


O que acontecerá durante o culto não depende da nossa performance ao vivo, mas daquilo que vivemos diante do Senhor durante nossa caminhada de vida até aquele momento.


Terceiro: "Então irei ao altar de Deus, do Deus que é a minha alegria e o meu prazer."


Esta frase me faz conhecer uma rotina especial de vida. O testemunho de que Ele é minha alegria e meu prazer só poderá existir se durante todos os dias eu tiver experiências da manifestação de Seu poder e de Sua vontade. Isto só acontecerá se eu tiver uma vida de comunhão, na "tenda fora do arraial".


Temos, hoje, muita gente envolvida na área do louvor e da adoração na igreja, mas poucos têm tido a vida na "tenda". Há mais envolvimento com os ensaios, com as técnicas e com a estrutura do que com o Espírito de Deus. Gasta-se mais tempo com o mundo físico do que com o mundo espiritual.


Quarto: "...com harpa te louvarei..."


O salmista só se atreveu a se apresentar diante de Deus com seu instrumento de louvor depois dos três itens já mencionados. Assim deve ser conosco também. Talvez os seus instrumentos de louvor sejam a voz e as palmas. Você não é um músico, ou um cantor, mas precisa ser um adorador. Portanto, estes são os seus instrumentos. Para tocá-los é necessário passar pelos três passos.


Isto é um Princípio de Deus para o ministério de louvor e adoração na igreja de Jesus. Sem estes Princípios qualquer coisa que tentamos gera apenas morte; morte no relacionamento espiritual com Deus e com Suas coisas.E isso não é ter comunhão com Deus.
Os Princípios de Deus para o louvor e adoração serão aprendidos diante Dele, em comunhão íntima com o Espírito Santo.


Podemos fazer alguns cursos, seminários, mas de nada valerão se não for associados à palavra Rhema, e à busca de unção pela oração, pelo jejum, pelo quebrantamento, e das coisas sobrenaturais de Deus.


Se desejamos adentrar na presença do Pai para aprendermos Seus Princípios, isso só se dará a partir do louvor e da adoração. Mesmo que não cantemos nenhuma música, mas se queremos aprender mais do Senhor e se desejamos a palavra Rhema enquanto lemos Sua Palavra, o Seu Espírito gera em nosso coração um espírito de gratidão, de louvor e de adoração.Assim começamos nossa comunhão com o Pai.

A partir da palavra Logos lida ou ouvida, Deus vai gerando em nós a palavra Rhema que nos leva, novamente, de forma mais intensa ainda a adorá-Lo. Nascemos para isso. Nascemos para Sua glória. Se aprendemos alguma coisa acerca de Deus e de Seu reino, é para a Sua glória e para adoração do Senhor. Essa experiência sobrenatural nos enche de poder, e esse poder será usado para testemunharmos de Sua unção. Esta é missão da igreja
Ouvi de um pastor o seguinte: "Deus já tem tudo. Não há mais nada que possamos ofertar que Ele já não tenha. Nosso louvor, nosso dinheiro, nossa música, tudo isso Ele já tem e do melhor. Só uma coisa Deus não tem e apenas eu e você podemos dar a Ele: é a comunhão. Você pode dar ao Senhor a oportunidade Dele ter comunhão com você. Isso é a única coisa que, possivelmente, Deus ainda não tem."


Pense bem nisso:
O LOUVOR E A ADORAÇÃO NOS LEVAM À PRESENÇA DE DEUS PARA APRENDERMOS MAIS, E PARA ADORÁ-LO COM MAIS INTENSIDADE.

ஒ♠ Ministração – INTIMIDADE COM DEUS – JOÃO 17:20ஒ♠

A primeira palavra que me vem a mente quando falo em intimidade é relacionamento.



Ninguém tem intimidade com outra pessoa se antes não desenvolver um relacionamento com ela. Da mesma forma você deve desenvolver um relacionamento com Deus e isso significa conhecer a Deus.


Em todo bom relacionamento existe sempre o desejo de um agradar o outro, mas para isso um deve saber do que o outro gosta. Dessa mesma forma você deve saber o que agrada o coração de Deus, o que torna o coração de Deus mais sensível a sua voz quando você se coloca em oração.


Veja o exemplo em sua casa com sua família.
Creio que você tenha liberdade, se ainda mora ou já morou com seus pais, de entrar sem precisar ser anunciado, abrir a geladeira ou a dispensa, de ligar a TV para assistir um filme e até preparar um aperitivo para acompanhar. Isso é intimidade, ser recebido sem grandes cerimonias ou formalidades na casa do Pai e é assim que Deus quer que você se sinta com Ele, a ponto de poder dizer tudo a Ele sem medo de ser acusado ou colocado para fora, afinal você é filho.
Coisas que não podem faltar num relacionamento íntimo:

1. Sinceridade
É jogar limpo com Deus, sem máscaras, até porque Ele conhece seu coração e sabe o que você sente em relação à Ele, a de sinceridade com Deus só piora seu relacionamento com Ele.
Existem pessoas que não conseguem ser sinceras consigo mesmas e por isso não conseguem abrir seu coração para Deus. Elas não conseguem dizer o que sentem e o que realmente desejam nesse relacionamento.
2. Integridade
Davi foi um homem que cometeu erros em seu reinado e alguns gravíssimos que poderiam até leva-lo a perder seu reino, porém ele tinha algo com Deus que poucos homens na bíblia tenham, integridade. Davi prevalecia com Deus pois seu coração estava em fazer Sua vontade e agradar Seu coração.
Quando um homem tem integridade num relacionamento com Deus, ele não será envergonhado e sua obras permanecerão para sempre.
3. Auto-negação
Cumprindo o mandamento “Amarás o seu próximo com a ti mesmo”.
Muitas vezes para manter a intimidade com Deus você terá que abrir mão de suas vontades. Isso significa deixar o egoísmo de lado e se lançar nos braços de Deus como um filho que precisa de carinho que não esconde seus sentimentos por orgulho ou conceitos humanos de vida.

A intimidade com Deus requer uma entrega muito maior do que simplesmente cantar, levantar as mãos, chorar por emoção. A intimidade com Deus requer profundidade, querer o que Deus quer, andar onde Deus anda, pensar como Deus pensa e amar como Deus ama.

ஒ♠MEU NAMORO É DA VONTADE DE DEUS? ஒ♠

Muitas pessoas carregam no coração uma grande dúvida com relação à vida sentimental. Ou seja, como saber se esta ou aquela pessoa é a que Deus separou para mim? Como saber se este namoro é de Deus? Venho fornecer algumas dicas a este respeito. São dicas baseadas em experiências e orientações contidas na Palavra de Deus.
1ª dica – Os Frutos - Como disse Jesus, uma boa árvore se conhece pelos frutos “Portanto, pelos seus frutos o conhecereis” (Mateus 7:20). Assim, veja se o rapaz ou a moça é um servo de Deus, analise o seu comportamento, a sua vida com o Senhor. Cuidado, pois existem muitos lobos vestidos de ovelhas. Certa vez eu namorei um rapaz e chegamos a ficar noivos. No começo ele me acompanhava no trabalho da igreja. Depois que ficamos noivos, disse que precisávamos dar um tempo da igreja e começou a querer me impedir de exercer meu ministério. Ou seja, começou a apresentar maus frutos. Eu então decidi terminar o namoro embora gostasse muito dele. Melhor fazer a vontade de Deus do que fazer a vontade dos homens, não é mesmo? Assim, ao namorar alguém precisamos verificar com atenção os seus frutos. É preciso tomar cuidado quanto a isto, pois muitas vezes, por estarmos envolvidos sentimentalmente, não prestamos a atenção neste aspecto. Criamos uma certa ilusão e nos esquecemos de analisar os frutos da pessoa. Por este motivo, analise friamente os frutos da pessoa que está se envolvendo. Veja a sua vida na igreja e especialmente em casa, se é um bom filho ou boa filha, analise também o seu comportamento profissional, etc. É muito fácil ser cristão na igreja, os verdadeiros frutos são revelados no dia a dia, nos bastidores.


2ª Dica – A paz - A Palavra de Deus diz que a “paz” deve ser o árbitro em nossos corações “Seja paz de Cristo o árbitro em vosso coração” (Col. 3:15). O árbitro é aquele que resolve uma questão, que direciona. Ou seja, a paz deve ser o indicativo se o relacionamento é ou não da vontade de Deus. Assim, se o namoro é algo que rouba paz, que leva a pessoa a ficar distante de Deus, que traz inquietação, perturbação, cuidado pois há algo de errado. Lutas e obstáculos sempre existirão, enfim, lutas externas e até desentendimentos esporádicos causados por diferenças de opiniões. Todavia, se o relacionamento rouba a sua paz interior, especialmente a sua comunhão com Deus é um grande indício que de o Senhor não está nesse relacionamento.


3ª dica – É paixão ou amor? - Um outro aspecto relevante é questão da diferença entre amor e paixão. Às vezes nos envolvemos numa paixão e nos machucamos achando que é amor. Paixão é algo avassalador, que nos leva a perder a razão, a lógica e até o temor de Deus. O amor, ao contrário, já é um sentimento maduro, consciente, nasce aos poucos, se desenvolve com o tempo e vai se fortalecendo diante das dificuldades. A paixão á algo passageiro, não resiste à distância, esfria, não espera. O amor, ao contrário, permanece “o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta” (I Cor. 13:07). O amor sabe esperar o momento certo para o sexo (o casamento). A paixão não, pois é pura emoção. Para exemplificar esta questão, cito, como exemplo, o sentimento de Amnon por Tamar (II Samuel 13) e o sentimento de Jacó por Raquel (Gênesis 29). Amnon se apaixonou por Tamar, sua irmã. Após ter tido relações sexuais com ela, a deixou friamente. Quantos jovens abandonam moças grávidas após satisfazer os seus desejos sexuais?! Jacó, por sua vez, amou a Raquel e o seu amor o fez esperar 7 anos até finalmente tê-la em seus braços. Além disso, trabalhou mais 7 anos para poder estar ao lado de sua amada definitivamente.

4ª dica – Enriquecimento – A Palavra de Deus afirma que a benção do Senhor enriquece e não acrescenta dores (Prov. 10:22). O namoro que é da vontade de Deus traz um enriquecimento mútuo. Ou seja, traz um enriquecimento na área espiritual, profissional, familiar, etc. Deus que ama e cuida de nós certamente colocará alguém em nosso caminho que nos abençoe, que tenha algo de bom a acrescentar em nossa vida, que nos ajude a dar continuidade aos nossos sonhos. Lamento muito quando vejo jovens se envolvendo sentimentalmente com pessoas que nada têm a acrescentar em suas vidas. Ao contrário, são pessoas que surgem para roubar a paz, o futuro e para trazer dor e destruição. O namoro, em caso como estes, se torna um verdadeiro sofrimento.


5ª dica – Convicção – Jesus certa vez disse que a palavra do cristão tem de ser sim, sim ou não, não e que tudo o que passar disso é de procedência do maligno (Mateus 5:37). Neste caso, o namoro aprovado por Deus é algo certo, definido e não indeciso. Quando o relacionamento é envolto por inseguranças e incertezas, algo está errado e precisa ser revisto, pois a dúvida não procede de Deus. Por isso, ao relacionar-se sentimentalmente com alguém é preciso pedir ao Senhor a confirmação sobre o namoro. Se não houver certeza, ore bastante e busque a direção de Deus e se preciso for, abra mão do relacionamento antes que alguém se machuque. Jamais se relacione com alguém sem que haja essa confirmação, essa convicção sobre os seus sentimentos. Entenda que um casamento é para toda vida. Afinal de contas, você está namorando pensando no futuro, fazendo planos para formar uma família. Se a sua visão é apenas ficar, passar o tempo, reavalie profundamente os seus conceitos, pois este não é o plano de Deus para o namoro.


Aos solteiros, aconselho a que não se atemorizem com o tempo, pois vale a pena esperar em Deus. E como descrito em Eclesiastes 3, existe um tempo determinado para todo propósito debaixo do céu. Assim, o melhor a fazer é buscar a Deus, crescer espiritualmente e profissionalmente. Enfim, adquirir maturidade em todos os aspectos para que quando chegar o tempo de construir uma família, você possa ter uma estabilidade espiritual, emocional e material.

Get GifsDaBac chat group | Goto GifsDaBac website
 
© Template Scrap Suave|desenho Templates e Acessórios| papeis Bel Vidotti