sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

** ALEGRIA **


É possível ser feliz

Todos nós queremos que a alegria faça parte da nossa vida. Muitos a buscam de diversas maneiras, e alguns até se perdem nessa busca. Mas a alegria encontrada nas coisas não é a alegria perene que tanto almejamos. Essa alegria está intimamente e inseparavelmente ligada ao Senhor.

Temos muitos motivos para nos alegrar e outros tantos para nos entristecer, porém, independentemente das circunstâncias, podemos ser felizes e nos alegrar mesmo na dor. Isso não é masoquismo, mas é a realidade da alegria que transcende as coisas naturais.

A alegria pode ser a nossa companhia durante as 24 horas do dia. A Bíblia nos dá a receita desta eterna alegria, que está além das fronteiras do mundo natural.

A Palavra de Deus proclama a alegria em todos os seus níveis de importância. Em Provérbios 15.13 está escrito que “o coração alegre aformoseia o rosto, mas com a tristeza do coração o espírito se abate.” E em Salmos 68.3 que “os justos, porém se regozijam, exultam na presença de Deus e folgam de alegria.” Precisamos restaurar a alegria em nossa vida para o nosso bem e para a glória de Deus. O nosso coração precisa pulsar a verdadeira alegria que vem de Deus. A vida, a esperança, a convicção, a fé, enfim, como proclamar todas as coisas em Deus se a alegria não estiver em nós? Devemos buscar a Deus para sermos cheios do Espírito Santo e da alegria do Senhor em todo o tempo, a despeito de todas as coisas. Paulo e Barnabé pregavam o Evangelho, “mas os judeus instigaram as mulheres piedosas de alta posição e os principais da cidade e levantaram perseguição contra Paulo e Barnabé, expulsando-os do seu território. E estes, sacudindo contra aqueles o pó dos pés, partiram para Icônio. Os discípulos, porém, transbordavam de alegria e do Espírito Santo.” (At 13.50-52). Apesar de terem sido rejeitados pelos judeus, os discípulos não se entristeceram nem perderam a vontade de continuar pregando o Evangelho, porque a alegria deles estava firmada no Senhor e não seriam circunstâncias externas que os desmotivariam. Não eram as atitudes das pessoas que lhes davam prazer de viver e trabalhar para Deus, mas sim o amor ao Senhor, a convicção da fé que tinham no verdadeiro Salvador. Jesus era tudo na vida daqueles homens, por isso a alegria emanava do seu interior. Muitos, quando enfrentam situações difíceis, complicadas e dolorosas, logo se recolhem ao seu mundo particular de solidão, autocomiseração e murmuração. Então, encolhem-se em seu sofrimento; e há quem não sai mais deste lugar sombrio. Outros voltam seus pensamentos para os tempos tranqüilidade e se negam, conscientemente ou não, a enfrentar o problema de frente. Assim, a angústia passa a ser-lhes companhia diária até que, quando menos esperam, a depressão lhes invade a alma e toma todo o corpo e mente. Nesse estágio, não há mais alegria nem vontade de viver. Somente o amor de Jesus pode transformar uma pessoa deprimida em alguém alegre e feliz.

Seja uma pessoa alegre, feliz, independentemente das circunstâncias, porque é o próprio Deus quem cuida de você. Ele não nos poupa das aflições às quais estamos sujeito a passar, mas nos livra nelas, nos fortalece para passarmos por elas sem nos sucumbirmos e, depois de passarmos pela prova, nos tornamos pessoas melhores, cristãos mais maduros e mais íntimos de Deus. A nossa alegria deve ser, acima de tudo, o nosso relacionamento com o Pai, Alegre-se querido leitor, porque Deus ama você e zela por sua vida.
Deus abençoe

** ANDANDO COM DEUS **


“Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios e sim como sábios, remindo tempo, porque os dias são maus.” (Efésios 5.15-16).


Andar com Deus não é um andar simplesmente geográfico, de um lugar para o outro. Uma pessoa pode não possuir as pernas, mas pode andar com Deus. Tudo o que o Senhor deseja é que o homem ande com Ele. E andar com Deus não é apenas uma oportunidade, ou um desafio. Também não é uma responsabilidade ou uma promessa. Andar com Deus é um modo, é uma expressão de comportamento. Aquele que anda com Deus se torna diferente das outras pessoas. Ele manifesta a própria vida do Senhor em sua história.

Vemos no Velho Testamento, no livro de Gênesis, que Deus criou o homem com um propósito: para andar com Ele. A Bíblia diz que na viração do dia, lá no Jardim do Éden, Deus caminhava com o homem. Mas houve o momento em que Adão decide se afastar do Senhor, a criatura afronta o Criador. O homem resolve caminhar sozinho, o engano passa a tomar conta do coração e ele acredita ser capaz de determinar o que era bom e mal. Acredita que ser independente de Deus era a melhor opção, o melhor caminho a seguir. 

Aprendi que tudo na vida é uma questão de escolha. Quando uma pessoa escolhe andar com Deus, os valores mudam. Você olha para ela e percebe algo diferente. O estilo de vida muda. A maneira de olhar não é mais a mesma. Os planos e propósitos agora são outros. Quando uma pessoa se entrega a Jesus, ela não muda de religião. Ela muda de caminho. Ela caminhava em direção à morte, agora caminha em direção à vida.
Jesus Cristo disse: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tom a sua cruz e siga-me.” (Lucas 9.23). Ele também disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (João 14.6).  Ele é o verdadeiro Caminho. Aleluia! Quando temos essa compreensão, tudo muda em nossa vida.

Muitas vezes você corre de um lado para o outro, mecanicamente, desejando ver resultado na sua vida e, às vezes, questiona porque nada tem dado certo, nada tem prosperado para você. Mas saiba que há um processo, há um caminho a percorrer. Aquele que permanecer, que obedecer e que abraçar a vontade do Senhor, acima de todas as coisas, será como uma “árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem-sucedido.” (Salmo 1.3).

Enquanto esteve aqui, Jesus deu o maior exemplo de humildade. Não havia ninguém superior a Ele, mas Ele, entre os homens, escolheu andar de modo humilde, de modo tão simples, querendo a vontade do Senhor em todo o tempo. E é esse o exemplo que devemos seguir.

Andar no caminho do Senhor é andar no bom caminho. É andar não com dureza no coração, mas quebrantado. Andar nos caminhos do Senhor é algo diferente. É um andar humilde, despojado de orgulho.

Andar humildemente com Deus é andar na dependência dele.  É andar com o seu coração voltado para Ele. É andar desejando o Senhor acima de todas as coisas. É estar disposto a servi-lo. 

“Isto, portanto, digo, e no Senhor testifico que não mais andeis como também anda os gentios, na vaidade dos seus pensamentos. E vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.” (Efésios 4.17, 23-24).


Deus abençoe,

Pr.  Márcio Valadão

** ARREPENDIMENTO **

Uma escolha
 
 Tudo na vida é uma escolha. Ou você escolhe arrepender-se para ter a vida ou escolhe continuar no erro para perecer. Assim dissera o Senhor Jesus à igreja de Tiatira (Apocalipse 2.21): “Dei-lhe tempo para que se arrependesse; ela, todavia, não quer arrepender-se [...]” A igreja escolheu não se arrepender.

Você pode até cair, mas só não pode ficar prostrado. Você precisa se levantar e voltar à prática das primeiras obras, arrepender-se. Na história do filho pródigo, o moço caiu vergonhosamente. Saiu de casa para viver, com todo o dinheiro da herança, uma vida imoral, perversa. Perdeu o nome, a dignidade, a pureza, perdeu tudo. Passou a viver entre porcos. Mas pela bondade de Deus, os olhos daquele jovem foram abertos, e ele se arrependeu, a ponto de dizer a si mesmo: “Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e perante ti, já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um de seus trabalhadores.” (Lucas 15.18). Ele se arrependeu e manifestou o arrependimento quando ele disse: “Levantar-me-ei e irei ter com meu pai”.

O arrependimento começa quando você se levanta. Para caminhar sobre as águas primeiramente é preciso sair do barco. No caso do arrependimento, não é diferente. A pessoa precisa se levantar e não ficar prostrada. A Palavra revela que “o pecado não terá domínio sobre vós”.

Interessante o que Davi afirmara em um de seus salmos: “Se eu atender a iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá.” (Salmo 66.18). Muitas vezes, guardamos o nosso coração por causa do orgulho e pensamos: “O que os outros irão pensar ao meu respeito?” Muitas vezes o orgulho humano, diabólico, nos leva à destruição. Mas o arrependimento precisa passar pela cabeça e chegar ao coração, pois o arrependimento não é uma doutrina. A única pessoa que conhece o coração do homem é Deus. O Espírito Santo é o único que sonda os corações. “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno”, escreveu Davi (Salmo 139.23-24).

Deus não nos chamou para sermos religiosos, mas para sermos filhos. Entretanto, para vivermos e desfrutarmos da vida que Deus tem para cada um de nós, é preciso haver arrependimento dos pecados. “Arrependei-vos por que está próximo o reino dos céus”, pregava João Batista (Mateus 3.3). Arrependimento é a mensagem. Arrependimento é o caminho, é a porta. “Arrependei-vos, arrependei-vos”, pregava enfaticamente João. Arrepende-se, quem sabe, da indiferença em sua vida. Talvez você não tenha pecados obscenos, “filosóficos”, religiosos, mas você percebe a indiferença no seu coração. Ore e arrependa-se. Esta é a hora do marido voltar-se para a esposa e dizer: “Perdoe-me”. De o pai dizer para o filho: “Perdoe-me”. De o filho voltar-se para o pai e dizer: “Me perdoe”.

Amado leitor, eu abençôo e oro por você, para que jamais perca a sensibilidade do arrependimento. Jesus disse: “Eu sou a porta.” (João 10.9). E a maneira de você entrar por essa Porta é pelo arrependimento e pela fé.

Deus abençoe!


** AS ESCOLHAS


Todos os dias fazemos escolhas e queremos escolher sempre o melhor. E há escolhas que, uma vez erradas, podem comprometer toda uma vida. Quais seriam então as escolhas certas a tomarmos e ainda as que não devemos fazer? É acerca disso que vou compartilhar com você.  
Há algumas escolhas que devem ser certas na nossa vida. A 1ª delas: Deus. Eis o que a Palavra registra, em Êxodo 20.1: “Não terás outros deuses diante de mim.” Escolha Deus. Mas não aquele deus fictício ou como sendo apenas uma ideia ou vago conceito que muitos têm, mas o Deus da Bíblia. É muito comum ouvirmos as pessoas dizerem: “Deus te abençoe”. Mas sem o conhecimento do verdadeiro Deus, isso pode soar vago, a despeito das melhores intenções. Eu prefiro falar: “Jesus te abençoe”. Quando você diz “Jesus te abençoe”, você está mencionando também o Pai de Jesus, o Criador, o Deus verdadeiro. Você está proclamando que na sua vida não há outros deuses diante de você. E Ele é fiel, o melhor para a sua vida. 
A 1ª escolha: que deve ser feita a cada dia é a de estar com o Senhor, de servi-lo, de adorá-lo, de amá-lo. Sem reservas. Em Provérbios, capítulo 3. 5-6, está escrito: “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.” Reconheça o Senhor, procure ver os sinais de sua ação e seu mover na sua vida, a fim de entender o modo como Ele fala, age. Escolha ter experiências com ele e viver ao lado dele. Jesus disse: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos” (João 14.2). Escolha Deus.
A 2ª escolha a ser feita: a de amar próximo. “O amor jamais acaba”, escreveu o apóstolo Paulo em 1 Coríntios, capítulo 13. E a maior força que existe no universo é o amor. Jesus disse para amarmos uns aos outros, até mesmo nossos inimigos. “O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.” (João 15.12).

Ainda em 1 Coríntios, mas agora no capítulo 16, verso 14, Paulo disse: “Todos os vossos atos sejam feitos com amor.” Numa comparação, eu diria que o amor é como o óleo em uma máquina. Sem ele, as engrenagens dessa máquina tornam-se duras e emperram, comprometendo todo seu funcionamento. É assim também numa relação, seja qual for o contexto: casamento, trabalho, igreja, entre amigos. Quando falta o óleo do amor, tudo parece emperrar e nada funcionar. 
Certa vez alguém me disse algo. “Pastor, eu queria encontrar quem inventou o trabalho para poder matá-lo”. Eis a falta do óleo no ambiente de trabalho. Quando você ama o que faz, não há espaço para o fardo, para o peso, para o sofrimento. Ainda que seu superior, seu patrão, seja rabugento, ou que aquele que se diz seu colega seja implicante. Você pode superar essas ou outras dificuldades por causa do amor.  
Uma moça muito bonita estava em um hospital cuidando de um homem que estava cheio de feridas, numa situação muito delicada. Alguém chegou e disse a ela: “Eu não faço o que você está fazendo nem para ganhar um milhão de dólares”. A moça olhou para ele e disse: “Eu também não faria. Mas o faço por amor”. Havia amor no trabalho realizado. Tudo na vida é uma escolha. Se há algo que você pode dizer ser seu é a sua vontade, o seu livre arbítrio. E dentro do seu livre arbítrio, escolha amar.
 
© Template Scrap Suave|desenho Templates e Acessórios| papeis Bel Vidotti